Title
Search
All Issues
2
Ano: 2012  Vol. 16   Num. Suppl. 1  - Maio
DOI: 10.7162/S1809-9777201200S1C-002
Print:
XXXIX CONVENTUS - Oral Presentation
TextoTexto em Inglês
CORRELAÇÃO DOS ACHADOS AUDIOMÉTRICOS EM RELAÇÃO À INTELIGIBILIDADE DE FALA
CORRELATION OF AUDIOMETRIC FINDINGS IN RELATION TO INTELLIGIBILITY OF SAYS
Author(s):
Daniela Polo Camargo da Silva, Priscila Suman, Jair Cortez Montovani
Palavras-chave:
Resumo:

Objetivo: Caracterizar os achados audiométricos em relação à inteligibilidade de fala. Material e Método: Foram submetidos ao exame de audiometria tonal liminar (ATL) pacientes, de ambos os sexos, com queixa de "escuto, mas não entendo". O exame foi realizado em cabina com o audiômetro modelo AD229b da marca Interacoustics, o registro foi iniciado pela melhor orelha referida pelo paciente em método descendente, nas freqüências de 250 a 8000Hz. Resultados: Sessenta e seis pacientes, 31 do sexo masculino e 35 do feminino, com idade média de 68 anos (dp= ± 11 anos). A média dos limiares tonais encontrados para a orelha direita nas freqüências de 250, 500, 1000, 2000, 3000, 4000, 6000 e 8000Hz foram respectivamente: 33dB, 36dB, 39dB, 48dB, 54dB, 61dB, 67dB e 68dB, para a orelha esquerda encontramos respectivamente: 31dB, 34dB, 38dB, 47dB, 55dB, 63dB, 67dB, 66dB. Com relação ao tipo de perda auditiva 97% foram do tipo neurossensorial e 3% do tipo mista. A curva foi tipicamente descendente e 32% tinham zumbido. Conclusão: A queixa de dificuldade de inteligibilidade de fala foi atribuída a disacusia neurossensorial de grau moderado, com configuração descendente, ou seja, perda auditiva maior para as frequências agudas, sendo estas as responsáveis pela inteligibilidade de fala.

.
  Print:

 

All right reserved. Prohibited the reproduction of papers
without previous authorization of FORL © 1997- 2019