Title
Search
All Issues
41
Ano: 2012  Vol. 16   Num. Suppl. 1  - May
DOI: 10.7162/S1809-9777201200S1O-023
Print:
11º CONGRESSO DA FUNDAÇÃO OTORRINOLARINGOLOGIA - Oral Presentation Otorhinolaryngology
TextoTexto em Inglês
COMPARAÇÃO DA TELEMETRIA DE RESPOSTA NEURAL VIA COCLEOSTOMIA OU VIA JANELA REDONDA NO IMPLANTE COCLEAR
COMPARISON OF THE TELEMETRY OF NEURAL REPLY SAW CHOCLEOSTOMY OR SAW ROUND WINDOW IN CHOCLEAR IMPLANTATION
Author(s):
Rogério Hamerschmidt, Luiz Henrique Schuch, Rodrigo Kopp Rezende, Adriana Kosma Pires de Oliveira, Gislaine Richter Minhoto Wiemes, Marcos Mocellin
Palavras-chave:
Resumo:

RESUMO - Existem duas técnicas para inserção dos eletrodos do implante coclear(IC): Via cocleostomia ou via janela redonda (JR). Objetivo: Comparar a telemetria de resposta neural (NRT) no pós-operatório imediato verificando se há diferenças na estimulação do nervo auditivo entre estas duas técnicas. Métodos: Prospectivo e trasversal. Foram avaliados 23 pacientes. Seis submetidos à cirurgia via cocleostomia e dezessete via JR. Resultados: Comparação das unidades de corrente médias (UCM) para sons agudos: Via JR com média de 190.4(±29.2) e via cocleostomia 187.8(±32.7), p 0,71. Comparação das UCM para sons intermediários: Via JR, média de 192.5(±22) e via cocleostomia 178.5(±18.5), p 0,23. Comparação das UCM para sons graves: Via JR, média de 183.3(±25) e via cocleostomia 163.8(±19.3), p 0,19. Conclusão: Este estudo não mostrou diferença na captação do potencial de ação da porção distal do nervo auditivo em pacientes usuários do implante coclear multicanal submetidos a cirurgia via cocleostomia ou via JR, utilizando o próprio implante para eliciar o estímulo e gravar as respostas. Portanto ambas as técnicas estimulam de maneira igual o nervo coclear, e baseado nisto conclui-se também que, realizar o implante coclear via cocleostomia ou JR é uma escolha que depende da experiência cirúrgica e opção do cirurgião.

.
  Print:

 

All right reserved. Prohibited the reproduction of papers
without previous authorization of FORL © 1997- 2019