Title
Search
All Issues
44
Ano: 2012  Vol. 16   Num. Suppl. 1  - May
DOI: 10.7162/S1809-9777201200S1O-026
Print:
11º CONGRESSO DA FUNDAÇÃO OTORRINOLARINGOLOGIA - Oral Presentation Otorhinolaryngology
TextoTexto em Inglês
QUANTIFICAÇÃO DA EXPOSIÇÃO AO RUÍDO E ACHADOS AUDIOLÓGICOS EM POLICIAIS DA CENTRAL DE OPERAÇÕES POLICIAIS MILITARES
AUDIOLOGIC QUANTIFICATION OF THE EXPOSITION TO THE NOISE AND FINDINGS IN POLICEMEN OF THE CENTRAL OFFICE OF MILITARY POLICE OPERATIONS
Author(s):
Carla Linhares Taxini, André Knap, Heraldo Lorena Guida
Palavras-chave:
Resumo:

Objetivo: estudar uma amostra do ambiente acústico a que se expõem os policiais militares da "Central de Operações Policiais Militares" e caracterizar o perfil audiológicos deles. Material e Método: as mensurações do ruído ambiental foram realizadas no 10º Batalhão da Polícia Militar da cidade de Marília-SP, projetadas para a jornada de trabalho de 8 horas. Utilizou-se o dosímetro Svantek- SV102 com medição simultânea de dois perfis distintos utilizamos como referência a NR-15e a NHO1, o microfone foi inserido no meato acústico externo para captar o ruído do fone operador, foram também avaliadas as Emissões Otoacústicas por Produto de Distorção (EOAPD) de 13 policiais. Resultados: o tempo máximo ponderado baseada NR-15 variou de 58, 83 a 77,33 dB(A) e na NHO 01 variou de 70, 81 e 95,61 dB(A). A dose registrada baseada na NR-15 variou entre 3,21% e 34,54% e na NHO 01 entre 3,81% e 1149,76%. As EOAPD mostraram que 38,43% dos policiais apresentaram alterações em pelo menos uma das orelhas, podendo indicar o início de perda auditiva induzida pelo ruído. Conclusão: foram poucas as medições que excederam o proposto pelas normas NR-15, NHO 01 estando acima principalmente do proposto pela NBR 10152, em compensação as poucas doses que excederam os 50% tolerados, foram extremamente altas. Ao comparar os resultados das mensurações do ruído ambiental com as EOAPD, nota-se que apesar do ruído estar abaixo do proposto pelas normas ele pode causar dano ao sistema auditivo desses profissionais, sendo necessário adotar medidas corretivas.

.
  Print:

 

All right reserved. Prohibited the reproduction of papers
without previous authorization of FORL © 1997- 2019