Title
Search
All Issues
67
Ano: 2012  Vol. 16   Num. Suppl. 1  - May
DOI: 10.7162/S1809-9777201200S1F-007
Print:
11º CONGRESSO DA FUNDAÇÃO OTORRINOLARINGOLOGIA - Oral Presentation Audiology
TextoTexto em Inglês
COMPORTAMENTO VOCAL DE DOCENTES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO EM JABOATÃO DOS GUARARAPES-PE
VOCAL BEHAVIOR OF TEACHERS OF MUNICIPAL SCHOOLS IN JABOATÃO DOS GUARARAPES -PE
Author(s):
Tatiana Maria Corrêa Cavalcanti, Robélia Cristinny Gomes Rodrigues, Juliana Fernanda Dias, Ana Sulamita de Oliveira, Ubirajane Cristina de Oliveira
Palavras-chave:
Resumo:

Introdução: A voz é o principal instrumento na vida profissional do professor, portanto requer uma adaptação precisa dos órgãos da fonação. A voz do professor tem sido foco de estudos nas últimas duas décadas devido à alta ocorrência de alterações vocais nesta classe profissional. Objetivo: Verificar os comportamentos vocais dos educadores do município de Jaboatão dos Guararapes-PE e sua interferência nas queixas vocais dos profissionais. Método: Foi utilizada a análise dos prontuários dos educadores que iniciaram atendimento fonoaudiológico no CASPE. Foram excluídos prontuários que não estavam completos com anamnese fonoaudiológica e/ou a avaliação vocal; o item verificado foi: hábitos/comportamentos vocais e fatores que favorecem ao abuso/mau uso vocal. A amostra foi constituída de 100 educadores (ambos os sexos) que atuam em escolas municipais. Resultados: Os comportamentos vocais mais pontuados foram: fala muito (86%), fala em ambiente ruidoso (65%), fala muito sem hidratar-se (44%), grita (43%) e usa a voz quando resfriado (40%); quanto aos fatores que favorecem mau uso vocal, o item mais destacado foi: permanece em ambiente empoeirado (69%); o hábito inadequado mais pontuado foi: não manter o hábito de beber água (52%) e a queixa vocal mais encontrada nos educadores foi rouquidão e cansaço vocal. Conclusão: Conclui-se que comportamentos vocais alterados são encontrados nessa população e que esses influenciam diretamente a qualidade vocal ao ponto de desencadear queixas vocais prejudiciais ao bem-estar global do profissional. Tais informações reforçam a importância do acompanhamento fonoaudiológico e ações intervencionistas dentro do ambiente escolar.

.
  Print:

 

All right reserved. Prohibited the reproduction of papers
without previous authorization of FORL © 1997- 2019