Title
Search
All Issues
85
Ano: 2012  Vol. 16   Num. Suppl. 1  - May
DOI: 10.7162/S1809-9777201200S1F-025
Print:
11º CONGRESSO DA FUNDAÇÃO OTORRINOLARINGOLOGIA - Oral Presentation Audiology
TextoTexto em Inglês
DIMENSÃO DO TRATO VOCAL DE CANTORAS PROFISSIONAIS E NÃO PROFISSIONAIS DURANTE O REPOUSO E O CANTO
DIMENSION OF VOCAL TRACT OF PROFESSIONAL WOMEN SINGERS AND NON PROFESSIONAL WOMEN SINGERS DURING THE CORNER AND THE REST
Author(s):
Snizhana Drahan, Hilton Marcos Alves Ricz, Telma Kioko Takeshita Monaretti, Lílian Neto Aguiar Ricz
Palavras-chave:
Resumo:

Objetivo: analisar a dimensão do trato vocal de cantoras profissionais e não profissionais no repouso e no canto. Material e Método: analisou a posição da laringe pela distância longitudinal entre pregas vocais e palato duro de cantoras no repouso e canto. Foram 18 cantoras solistas sendo nove profissionais, classificadas como soprano ou mezzo-soprano, com idade entre 18 e 45 anos. Para obtenção das imagens anatômicas, cada cantora foi submetida à videofluoroscopia, sendo instruída a cantar vocalizes em DÓ maior, RÉ maior e MI maior com extensão de uma oitava com vogais /a/, /i/ e /u/, sustentando a nota acima. Selecionaram-se as imagens, sendo mensuradas as respectivas distâncias pelo programa ImageJ. Adotou-se a estatística descritiva. Resultados: no repouso, as distâncias longitudinais das pregas vocais ao palato duro foram: 70.61mm (não profissionais) e 66,94mm (profissionais). Durante os vocalizes, maior distância ocorreu para DÓ maior para /u/ e menor para MI maior na produção do /i/ para ambos os grupos, não profissionais (72.41mm e 66.45mm) e profissionais (74.53mm e 70.36mm). MI maior com /i/ foi menor em não profissionais, sopranos (70.94mm) e mezzo-sopranos (57.47mm), e profissionais mezzo-sopranos (78.94mm). Sopranos profissionais (71.55mm) e não profissionais (75.71mm) apresentaram maior distância para RÉ maior com /a/. Conclusão: cantores profissionais apresentaram menor distância no repouso, aumentando durante os vocalizes para ambos os grupos, especialmente aos profissionais que demonstraram domínio dos ajustes musculares extrínsecos de longo termo associados à característica mais grave do tom e vogal empregados, repercutindo na posição mais baixa da laringe.

.
  Print:

 

All right reserved. Prohibited the reproduction of papers
without previous authorization of FORL © 1997- 2019