Title
Search
All Issues
89
Ano: 2012  Vol. 16   Num. Suppl. 1  - May
DOI: 10.7162/S1809-9777201200S1F-029
Print:
11º CONGRESSO DA FUNDAÇÃO OTORRINOLARINGOLOGIA - Oral Presentation Audiology
TextoTexto em Inglês
EFEITO DO TABAGISMO NA FUNÇÃO COCLEAR EM FREQUÊNCIAS CONVENCIONAIS E ULTRA-ALTAS FREQUÊNCIAS
EFFECT OF SMOKING ON COCHLEAR FUNCTION IN CONVENTIONAL AND FREQUENCY ULTRA-HIGH FREQUENCIES
Author(s):
Jaqueline Medeiros de Mello, Nara Line Vendrametto de Lima, Joseane Medeiros de Mello
Palavras-chave:
Resumo:

Objetivo: verificar o nível de resposta das EOA-DP em frequências convencionais (FC) e ultra-altas frequências (UAF) em indivíduos fumantes. Metodologia: A casuística foi composta por 10 indivíduos tabagistas, entre 19 e 29 anos (média de 23,4), sendo 07 do gênero feminino e 03 do gênero masculino. Tais indivíduos começaram a fumar em torno dos 15 anos e com o passar do tempo foram aumentando gradativamente o consumo do cigarro, chegando a fumar um maço por dia (média 8 anos de tabagismo). Todos os indivíduos foram submetidos à entrevista inicial, inspeção visual do MAE, ATL, imitanciometria, EOA-DP em FC e UAF. Resultados: Os resultados demonstraram ATL e imitanciometria dentro da normalidade, nas EOA-DP em FC notou-se pequena diferença entre as orelhas, porém observou-se uma tendência da OE apresentar melhor relação S/R. Com relação às respostas das EOA-DP em UAF pode-se notar que obtiveram menor resposta, sendo que conforme aumentou a frequência houve uma diminuição da resposta coclear. Conclusão: Não existem estudos nacionais sobre EOA-DP em UAF e os estudos internacionais existentes são em número reduzido, provavelmente por existir poucos equipamentos disponíveis no mercado e por ser um procedimento novo, sendo que ainda não há padronização em relação à normalidade e há pouco conhecimento quanto ao uso das EOA-DP na faixa de 9.000 a 16.000Hz na prática clínica. Portanto, torna-se essenciais mais pesquisas que investiguem a aplicabilidade e contribuição das EOA-DP em UAF na prática clínica, especialmente em populações de risco para desenvolver alterações cocleares nas UAF como a população de fumantes.

.
  Print:

 

All right reserved. Prohibited the reproduction of papers
without previous authorization of FORL © 1997- 2019