Title
Search
All Issues
6
Ano: 1997  Vol. 1   Num. 2  - Abr/Jun Print:
Original Article
Versão em PDF PDF em Português
I Semana Nacional de Preveno da Surdez
Author(s):
Ricardo Ferreira Bento
Palavras-chave:
INTRODUO

Ser realizada nos dias 10, 11 e 12 de novembro deste ano, uma Campanha Nacional de Preveno indita no Brasil, que visar especialmente a informao populao dos problemas relativos perda auditiva. A Campanha ser realizada em uma segunda, tera e quarta feiras e no sbado comeara no Rio de Janeiro a XII Reunio da Sociedade Brasileira de Otologia.

Idealizada h muitos anos, agora est sendo colocada em prtica pela atual diretoria da Sociedade Brasileira de Otologia, com a parceria de outras entidades que esto diretamente voltadas para o problema da surdez:

- Sociedade Brasileira de Otorrinolaringologia;

- Fundao Otorrinolaringologia;

- Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia e

- Conselho Federal de Fonoaudiologia.

Alm de contarmos com os apoios locais das Prefeituras Municipais, Governos Estaduais e Secretarias das Sade das principais cidades participantes de todo o pas, estaro colaborando com a Campanha os seguintes rgo federais:

- Ministrio do Trabalho

- Ministrio da Sade

- Ministrio do Meio Ambiente

- Ministrio da Educao e Cultura

Diversas empresas privadas esto tambm sendo convidadas para participar do evento em nvel nacional ou regionalmente, de acordo com as respectivas reas de atuao.

A CAMPANHA

 ORGANIZAO

A concepo-mestra e a execuo do evento, so de responsabilidade da Comisso Executiva com sede em So Paulo, formada pelos seguintes membros representantes das entidades j mencionadas:

- Coordenador:

Prof. Dr. Ricardo Ferreira Bento - Presidente da Sociedade Brasileira de Otologia e Professor-Associado da Faculdade de Medicina da U. S. P.

- Membros:

Dr. Carlos Alberto Herrerias de Campos - Vice-Presidente da Sociedade Brasileira de Otorrinolaringo-logia e Chefe do Departamento de Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina da Santa Casa de So Paulo.

Fon. Telma Costa - Presidente do Conselho Federal de Fonoaudiologia.

Fon. Ida Chaves - Presidente da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia.

Dr. Jos Alexandre Mdicis da Silveira - Vice Presidente da Sociedade Brasileira de Otologia e Doutor em Otorrinolaringologia pela FMUSP.

Dr. Edigar Rezende de Almeida - Tesoureiro da Sociedade Brasileira de Otorrinolaringologia, Delegado da SOB para So Paulo e Professor-Assistente Doutor da FMUSP.

Dra. Tanit Ganz Sanchez - Secretria-Geral da SOB e Doutoranda do Curso de Ps-Graduao da FMUSP.

Dra. Renata Cantisani Di-Francesco - Coordenadora da Liga da Surdez FMUSP e Doutoranda do Curso de Ps-Graduao da FMUSP.

Andra Ribeiro de Carvalho - Assessora e Consultora em Projetos Especiais da Fundao Otorrinolaringologia.

Dr. Wilson Ayres - Comisso de Preveno e Reabi-litao da Surdez da Sociedade Brasileira de Otologia.

Dr. Carlos Burlamaqui - Assistente do Departamento de Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina da Santa Casa de So Paulo.

 OBJETIVO PRINCIPAL

Campanha de educao e conscientizao da populao brasileira para o problema da surdez com vistas sua preveno.

OBJETIVOS SECUNDRIOS E METAS PRINCIPAIS

- Orientao populao, quanto ao que fazer quando perceber queda auditiva.

- Conscientizao dos direitos do trabalhador e da empresa no que diz respeito surdez profissional.

- Alerta aos rgos pblicos envolvidos na questo.

- Orientao para a preveno da surdez em todas esferas da sociedade, civil, mdica-cientfica, empresarial e governamental.

- Orientao para o tratamento da surdez em seus vrios nveis.

- Consolidao da importncia psicossocial da surdez com deficincia fsica.

- Realizao de levantamento de dados para a avaliao da incidncia da perda auditiva, em seus diversos nveis de intensidade e faixa etria no Brasil.

- Divulgao coletividade, da especialidade otorrinolaringolgica.

REALIZAO

O meio principal para atingirmos os objetivos da Campanha, se traduz na operacionalizao de Postos de Triagem Audiomtrica ou para Audiometria Completa a serem instalados estrategicamente em diversos pontos de grande movimento (ex. praas centrais, Shoppings Centers, Hospitais, Postos de Sade etc.), das principais cidades e regies de todo o Brasil.

Estes postos sero compostos pelos seguintes itens:

1. Espao fsico silencioso para realizao da Triagem Audiomtrica ou Audiometria Completa com o equipamento adequado ou seja, um audimetro via rea ou um audimetro convencional.

2. Recursos Humanos compreendendo um mdico otorrinolaringologista e uma fonoaudiloga qualificados e pessoal voluntrio de apoio.

3. Impressos padrozinados para a realizao dos exames e respectivas instrues da rotina (padronizao dos procedimento).

4. Folhetos/questionrio para serem preenchidos pelas pessoas que procurarem os postos para participarem dos exames audiomtricos.

5. Materiais de divulgao para os postos (Placas de sinalizao, posters, entre outros) e

6. Folhetos explicativos contendo informaes bsica, referentes s principais causas, mtodos de preveno e orientao quanto ao que fazer quando se perceber perda de audio.

Alm de possibilitarem a realizao de exames gratuitos de audio, estes postos funcionaro como pontos de atrao para a mdia em geral e para a distribuio do material informativo populao.

Este material ser igualmente distribudo em locais estratgicos como postos de sade, pedgios de rodovias, centros de informaes tursticas etc.

A proposta atual para a instalao de 180 postos em todo o pas, se deve a grande receptividade obtida junto aos Delegados Estaduais da Sociedade Brasileira de Otologia, convidados para a coordenao local do evento em seus respectivos Estados.

Nos Estados em que no haviam Delegados eleitos ou aqueles que por qualquer motivo no puderam participar, foram nomeados outros colegas para assumirem a coordenao.

So estes os coordenadores estaduais:

Acre: Carlos Alberto Beiruth Borges
Alagoas: Maria Eliete Incio da Silva
Amazonas: Eduardo A. Kaufffman
Bahia: Paulo Srgio Lins Perazzo
Braslia: Oswaldo Nascimento Jr.
Cear: Fernando Sequeira Praa
Esprito Santo: Srgio Ramos
Gois: Antnio Thom Jnior
Maranho: Carlos Alberto Silva Dias
Minas Gerais: Humberto Afonso Guimares
Mato Grosso: Ernani Albuquerque Preuss
Mato Grosso do Sul: Pedro Paulo Bidart Sampaio Rocha
Par: Jorge Resque
Paraba: Jos Pinto Brando
Paran: Herton Coifman
Pernambuco: Milton Souza Leo S. Jnior
Piau: Paulo de Tarso Moura Borges
Rio de Janeiro: Shiro Tomita
Rio Grande do Norte: Jos Rubens Marcondes de Aguiar
Rio Grande do Sul: Alberto Alencar Nudelmann
Santa Catarina: Syriaco Atherino Kotsias
Sergipe: George Alberto S. S. Amado
So Paulo: Edigar Rezende de Almeida*
Tocantins: Antnio de Deus

* no Estado de So Paulo devido ao grande nmero de postos, foram organizados coordenadorias em algumas cidades:
Botucat e regio - Jair Mantovani
Campinas e regio - Raul Guedes de Mello
Guarulhos - Vera Andiara Rezende da Silva
Marlia - Alfredo Dell'Aringa
Ribeiro Preto e regio - Jos Antnio A. de Oliveira
Santo Andr, So Bernardo e So Caetano - Luiz Antnio P. de Figueiredo

Os coordenadores enviaram um estudo preliminar da quantidade e locais dos postos:

ESTADO - /MUNICPIO - QUANT. DE POSTOS OBS.

 So Paulo / Capital 20 Estimado
 Guarulhos 02
 ABC 00 A definir
 Campinas 08
 Paulnia 01
 Hortolndia 01
 Valinhos 01
 Mogi-Mirim 01
 Botucatu 04
 Ituverava 01
 Araraquara 02
 Limeira 02
 It 01
 Lins 01
 Penpolis 01
 Barretos 01
 So Carlos 01
 Bauru 03
 Ja 01
 Patrocnio 01
 Marlia 02
 Ribeiro Preto 00 A definir
 Araatuba 02
TOTAL SO PAULO - 57

 Rio de Janeiro / Capital 07
 Angra dos Reis 01
 Nilpolis 01
 S. Joo do Meriti 01
 Nova Iguau 01
 Niteri 02
 So Gonalo 01
 Maca 01
 Campos 01
 Volta Redonda 01
 Itaperuna 01
 Terespolis 01
 Resende 01
TOTAL RIO DE JANEIRO 20

 Minas Gerais / Capital 04
 Montes Claros 01
 Juiz de Fora 01
TOTAL MINAS GERAIS 06

 Esprito Santo / Capital 03
 Cachoeiro do Itapemirim 01
 Serra 01
 Vila Velha 01
 Colatina 01
 So Mateus 01
 Linhares 00 A definir
TOTAL ESPRITO SANTO 08

TOTAL REGIO SUDESTE 91

ESTADO - /MUNICPIO - QUANT. DE POSTOS OBS.

 Paran / Capital 03
 Londrina 01
 Maring 01
 Ponta Grossa 01
 Cascavl 01
 Foz do Iguau 01
TOTAL PARANA 08

 Rio Grande do Sul / Capital 04
 Santa Maria 01
 Pelotas 01
 Passo Fundo 01
TOTAL RIO GRANDE DO SUL 07

 Santa Catarina / Capital 01
 TOTAL SANTA CATARINA 01

TOTAL REGIO SUL 16

 Braslia / Capital 00 A definir
TOTAL BRASLIA 00

 Gois / Capital 10
 Anpolis 01
 Jata 01
 Catalo 01
 Itumbiara 01
 Rio Verde 01
 Trindade 01
 Caldas Novas 01
 Inhumas 01
TOTAL GOIS 18

 Mato Grosso / Capital 04
TOTAL MATO GROSSO 04

 Mato Grosso do Sul / Capital 06
 Dourados 01
 Trs Lagoas 01
 Corumb 01
TOTAL MATO G. DO SUL 09

TOTAL REGIO CENTRO-OESTE 31

 Alagoas / Capital 02
 Arapiraca 01
 So Miguel dos Campos 01
 Marechal Deodoro 01
 Palmeira dos ndios 01
TOTAL ALAGOAS 06

 Bahia / Capital 00 A definir
 Feira de Santana 01
TOTAL BAHIA 01

 Cear / Capital 05
TOTAL CEAR 05

 Maranho / Capital 02
 Imperatriz 01
 Bacabal 01
TOTAL MARANHO 04

 Paraba / Capital 02
 Campina Grande 02
 Patos 01
TOTAL PARABA 05

 Pernambuco / Capital 04
 Caruaru 00 A definir
 Garanhums 00 A definir
 Gravata 00 A definir
TOTAL PERNAMBUCO 04

 Piau / Capital 03
 Parnaba 01
TOTAL PIAU 04

 Rio G. do Norte / Capital 02
 Mossor 01
TOTAL RIO G. DO NORTE 03

 Sergipe / Capital 00 A definir
 Lagarto 01
 Itabaiana 01
 Estncia 00 A definir
TOTAL SERGIPE 02

TOTAL REGIO NORDESTE 34

 Tocantins / Capital 01
TOTAL TOCANTINS 01

 Amazonas / Capital 00 A definir
TOTAL AMAZONAS 00

 Par / Capital 02
 Castanhal 01
 Marab 01
 Santarm 01
 Porto Trombetas 01
TOTAL PAR 06

 Acre / Capital 01
 TOTAL ACRE 01

 Rondnia / Capital 00 A definir
TOTAL RONDNIA 00

 Roraima / Capital 00 A definir
TOTAL RORAIMA 00

 Amap / Capital 00 A definir
TOTAL AMAP 00 (coord. do Par)

 TOTAL REGIO NORTE 08

ROTINA E FUNCIONAMENTO DOS POSTOS

A - Alm dos postos servirem para a distribuio do material informativo, realizaro tambm exames gratuitos de audio na populao.

As pessoas que quiserem realizar o exame de audio, devero em primeiro lugar preencher um questionrio onde responder questes objetiva sobre sintomas auditivos.

B - Em seguida, o mdico faz a otoscopia, e com base neste procedimento e nas respostas do questionrio, verifica se a pessoa, est na lista dos seguintes casos que vo impossibilit-la de fazer o exame:

1 - Crianas menores de 12 anos;

2 - Pessoas com rolha de cera obliterando qualquer um dos condutos;

3 - Em vigncia de otorria e

4 - Pessoas com deficincia mental, que impossibilitem resposta objetiva ao exame.

C - Conseqentemente se ela no estiver na lista acima, ento estar apta para a prxima etapa de encaminhamento para o exame.

D - O examinador poder ento realizar via area nas freqncias de 500, 1.000, 2.000, 3.000, 4.000, 6.000 e 8.000 Hz. O exame dever determinar o limiar, iniciando-se pela freqncia de 1.000 estendendo-se progressivamente at 8.000 e finalizando-se pela freqncia de 500 Hz.

O incio do teste dever situar-se na intensidade do limiar de audio presumido (ex. 40 dB), diminuindo-se somente at as intensidade de 25 dB em 500 Hz e 20 dB nas demais freqncias.

E - Anotao dos resultados na tabela junto ao questionrio.

F - A pessoa que apresentar alteraes no exame, deve ser orientada a procurar um mdico otorrinolarin-gologista de sua confiana ou um posto de sade.

G - Os questionrios preenchidos devero ser enviados para a Comisso Executiva em So Paulo. Onde ser dado tratamento estatstico que servir para um primeiro censo nacional de incidncia de deficincia auditiva na populao brasileira.

OBSERVAES QUANTO A OPERACIONALIZAO DOS POSTOS

A princpio, todos os recursos necessrios, humanos, materiais e de instalao (exceo para o material grfico promocional e explicativo), devero ser viabilizados pelos Coordenadores de cada Estado e Municpio.

As dificuldades e impossibilidades sero analisadas caso a caso pela Comisso Executiva, que prestar assessoria de acordo com as possibilidades de auxlio a serem definidas.

Uma vez que o maior objetivo do evento atingir a populao com a maior quantidade possvel de informao, enfatizamos que estes postos (CHAMARIZ DA CAMPANHA) devem ser instalados em pontos estratgicos de grande circulao, tais como praas, postos de sade, supermercados, Shopping Centers e tantos outros conforme a convenincia de cada local.

Estes postos naturalmente causaro um impacto na mdia (jornais, revistas, televiso e rdio) que noticiaro o evento e geraro matrias sobre o assunto. Nossa assessoria de imprensa igualmente trabalhar no sentido de estimular esta divulgao.

A distribuio dos folhetos informativos e promocionais tambm sero fundamentais para o efeito da conscientizao, portanto alm dos postos, outros pontos devem ser explorados, como por exemplo, pedgios.

neste sentido tambm que estaremos contando com a colaborao da Associao Nacional dos Distribuidores e Fabricantes de Aparelhos para Surdez ANIDA, composta pelas seguintes empresas que participaro da Campanha:

Centro Auditivo Widex,
Centro Auditivo Siemens,
Centro Auditivo Otosonic,
Centro Auditivo Telex,
Centro Auditivo Danavox,
Aparelhos Auditivos Unitron,
Centro Auditivo Audibel,
Centro Auditivo Vicente Camargo.

A forma de contribuio e os locais de atuao dessas empresas, s sero definidos aps o recebimento das relaes oficiais e definitivas dos Municpios e respectivos participantes do evento, a serem encaminhadas pelos Coordenadores Estaduais ou Municipais, conforme o caso.

RESULTADOS ESPERADOS

1 - Efetiva conscientizao da populao para o problema da perda auditiva, que nunca foi muito divulgado.

2 - Consolidao da Otorrinolaringologia como especialidade que trata dos problemas de audio.

3 - Conscientizao de rgos pblicos quanto ao problema.

4 - Tentativa de um primeiro censo nacional de perdas auditivas.

OBSERVAES FINAIS

Contamos com o apoio de todos os otorrinolaringologistas e das fonoaudilogas na divulgao da importncia desta campanha de utilidade pblica e de divulgao de sua prpria especialidade.

Esta campanha ser a primeira realizada em nosso meio e com certeza ter algumas dificuldades e alguns erros, porm temos certeza que a mesma trar resultados benficos em todos os sentidos e o mais importante trar um aprendizado para a realizao de outras no futuro.

Aguardamos igualmente sugestes e colaboraes de todos. Aqueles que desejam se engajar efetivamente na campanha favor procurar o coordenador de seu Estado ou diretamente a coordenadoria em So Paulo:

Secretaria da Sociedade Brasileira de Otologia
Rua Pedroso Alvarenga, 1255 cj. 27
04531-012 So Paulo / SP
Tel.: (011) 3068-9855 - Fax: (011) 881-6769
e-mail: rbento@attglobal.net

Outras informaes estaro igualmente disponveis na home-page da Fundao Otorrinolaringologia: http://www.hcnet.usp.br/otorrino/

1- Professor Associada da Disciplina de Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina da Universidade de So Paulo e Presidente da Sociedade Brasileira de Otologia.
  Print:

 

All right reserved. Prohibited the reproduction of papers
without previous authorization of FORL © 1997- 2024